Luxúria

Banner_Resenha_Luxuria

Título Original: Pleasure’s Edge

Autor: Eve Berlin

Tradutor: Inês Pimentel

ISBN: 978-85-8178-027-6

Ano de Lançamento: 2012

Gênero: Literatura Americana, Erótico, Adulto

Páginas: 256

Editora: Lua de Papel

Nota: 3/5

Estante: Skoob

Onde comprar: Saraiva / Cultura / Submarino / Amazon

 

Sinopse: SE VOCÊ NÃO FOR AO LIMITE, COMO SABERÁ ATÉ ONDE PODE IR?

Quando achava que era hora de parar… Ela então pediu por mais… Quando Dylan Ivory, escritora de romances eróticos, recebe o contato de Alec Walker, nem imagina o quanto esse homem pode mexer com seus pensamentos. Conhecido por ser um famoso dominador em relações sadistas e sadomasoquistas, Alec tenta convencer Dylan de que a melhor forma de se aprofundar no assunto – e então escrever um livro o mais próximo possível da realidade – é viver uma experiência como submissa e sentir na pele a sensação desse tipo de relação. Para Dylan, essa proposta será difícil de ser aceita – uma vez que ela é fanática por ter o controle de tudo em sua vida. Embalados por um misto de prazer e apreensão, o casal se vê em uma situação tentadora enquanto evitam entregarem-se ao sentimento que nasce entre eles.

 

 

 

Olá Galera BLA!!

 

Tudo bem com vocês? Que tal uma leitura que te domina do começo ao fim? Sim, hoje no Literalmente Amigas temos um livro quente e com um assunto polêmico e curioso. Depois do lançamento de “Cinquenta Tons de Cinza” todos ficaram curiosos com esse universo de dominação e submissão.

O livro que lhes apresento hoje veio responder algumas perguntas que a trilogia da E. L. James deixou na mente das leitoras, provocando grande curiosidade. Sobre dominação e submissão acho que esse foi um dos mais característicos e fidedignos até agora. Isso deixando claro que não li todos, apenas alguns e essa é uma opinião minha.

Mesmo sendo considerado uma trilogia, o que difere essa saga das outras do mesmo gênero é que em cada livro é contada a história de um casal diferente, com vidas que se cruzam entre si. Portanto cada livro tem um fim, não sendo necessário ler todos, ou seguir uma ordem cronológica.

Esse livro é o primeiro da trilogia Edge que é composta pelos livros:

Pleasure’s Edge (2010) – Luxúria – Dylan Ivory e Alec Walker;

Desire’s Edge (2011) – No Limiar do Desejo – Kara Crawford e Dante de Matteo;

Temptation’s Edge (2012) – Tentação – Mischa Kennon e Connor Galloway.

Dylan Ivory é uma escritora de literatura erótica romântica, que está fazendo pesquisa de campo sobre sadomasoquismo para o seu novo livro.  Dylan é uma pessoa solitária, independente e controladora e para esse livro ela precisa ir além dos estereótipos do BDSM (Bondage, Dominação, Sadismo e Masoquismo). A jovem, então, recebe a indicação de entrevistar um dominador profissional: Alec Walker. Logo no primeiro encontro, Dylan sente uma atração irresistível por aquele homem enorme, altivo, que exala poder e sensualidade.

Alec Walter é um escritor, aventureiro que curte esportes radicais, vivido e viajado, mas acima de tudo, é um dominador experiente e profissional, que leva a sério o “jogo” de poder entre dominador/submissa. Ele aceita se encontrar para fazer a entrevista com Dylan, e logo no primeiro contato, percebe que aquela mulher é diferente e mexe com ele como nenhuma outra.

No decorrer da conversa entre os dois, Alec acha que a melhor forma de aprender sobre o universo de BDSM é sentindo na prática, então propõe a Dylan que seja sua submissa, pois só assim, ela entenderia como é a mente de uma pessoa no subespaço, quando entra na dominação e é atingida pelo transe.

Dylan nega ter característica submissa, pois gosta de estar “por cima” e é extremamente controladora. Mesmo assim, ela, movida por uma imensa atração sexual, concorda com o acordo e aceita fazer parte do jogo. Contudo, se Alec não conseguir submetê-la, ele é quem será o seu submisso. Cartas são colocadas sobre a mesa e o jogo iniciado.

Esse é um livro extremante sensual e HOT. Os protagonistas são comedidos em seus temperamentos, mas quando estão no ato sexual, ficam totalmente entregues à situação. O negócio é tão bom, que deixa o leitor entrando, literalmente, em combustão. Tudo começa a querer explodir.

“Luxúria” é um livro escrito em terceira pessoa, mas a autora soube dar espaço a cada personagem para evoluir e contar sua versão separadamente, sem perder o ritmo.

Apesar do tema ainda considerado um tabu, ela trata tudo naturalmente com uma escrita sensual, que apesar das palavras usadas, fica com tom erótico, e não pornográfico. Um dos pontos que mais gostei no livro, é que os personagens têm uma personalidade madura, além da idade mais elevada que o costume para os atuais livros do estilo.

Alec Walker tem 36 anos e tem um nível de vida elevado, mas não do tipo multimilionário, dono da cidade. Escritor de thrillers psicológicos, ele vive em um apartamento bem mobiliado em um bairro de Seattle e curte viajar pelo mundo, conhecendo lugares exóticos ou espirituais, apaixonado por motociclismo e esportes radicais. Bem relacionado e respeitado na comunidade BDSM de Washington, dá palestras sobre como ser um bom dominador e usa o clube Pleasure Dome como cenário para seus jogos mais pesados. Diferentemente de outros livros, Alec é cavalheiro, educado e preocupado com sua submissa. Ele não é o tipo que vai logo dizendo que quer “comer” ou oferecendo contrato absurdo para a submissão. A introdução de sua submissa é calculada e cuidadosa, levando em consideração o lado psicológico da coisa.

Outra coisa que tenho que destacar é que, Alec me lembra muito os machos-alfas, totalmente dominantes, de livros sobre lobos. Tem uma cena em que seu subconsciente chama por Dylan como os lobos fazem com suas companheiras… “MINHA!”. Ele é muito protetor e preocupado, apesar de ser muito GOSTOSO, e saber usar muito bem  as mãos para bater e praticar o ato sexual. O cara bate bem e excita ao extremo. Olha, a coisa é uma loucura, do tipo que é necessário ler sentada em cubos de gelo.

Dylan Ivory, 33 anos é autora de livros no estilo dos romances de banca, também vive uma vida confortável, mas monótona. Com apenas uma amiga próxima, ela evita se abrir ou aproveitar mais da vida, com medo de que isso interfira no seu controle tão bem trabalhado por anos. Mora longe da família — ou do que restou dela. Sempre bem acompanhada sexualmente, foge de relacionamentos sérios ou qualquer outra coisa que possa interferir no controle de sua vida. Considera-se muito liberal quando o assunto é sexo, afinal seu emprego meio que exige isso. Mas nunca ousou ir tão profundamente.

A autora cria um vínculo emocional entre os protagonistas, que no final acabam entrando em conflito com seus dramas, traumas e conceitos, para se entregarem um ao outro. Como não poderia deixar de ser, cada um tem suas razões psicológicas para ter o lado controlador e avesso a relacionamentos; e a entrega é bem complicada. Dylan fica em conflito, sofre muito e chora pra caramba, mas o repele. Já Alec tenta entender os próprios sentimentos e quase surta. Achei tudo muito fofo… Mas não posso contar mais, agora vocês têm que descobrir tudo lendo.

O único ponto negativo do livro é que Dylan acaba ficando muito submissa e de forma rápida demais. Apesar de Alec perceber, no primeiro momento, que era uma submissa nata, eu esperava que ela desse um pouco mais de trabalho e lutasse contra a dominação, já que tem uma personalidade tão peculiar. Acho que seria mais interessante se houvesse mais resistência da parte da protagonista. Outra coisa, que não é exatamente um ponto negativo, mas não gostei da capa. Apesar dela ser absolutamente linda não representa a personalidade do livro.

Eu engoli o livro em algumas horas. E não por causa das cenas de sexo, como alguns podem pensar, mas porque me envolvi com o relacionamento romântico deles, a quebra dos paradigmas que ambos impõem a si mesmos, através da entrega e do respeito mútuo. Quando terminou, o livro me deixou com um gosto de quero mais. Fiquei muito decepcionada por ter acabado tão rápido. Indico pra quem deseja conhecer um pouquinho mais desse mundo tão diferente e ler um bom romance.

 

Sign BLA

3 comments to Luxúria

  • Elis Miranda  says:

    Eu gostei do livro mas não se tornou um dos meus favoritos, acho que faltou alguma coisa para torná-lo realmente inesquecível.

    bjo

    • Eri Guimarães  says:

      Acho os outros dois mais marcantes. Mas adoro a forma como ela trata de BDSM.

  • No Limiar do Desejo  says:

    […] Edge (2010) – Luxúria – Dylan Ivory e Alec […]

Leave a reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>